Gravando Bandas Tour 2018

BLOG

Projeto que passará por 13 cidades brasileiras grava clipe da banda Lugh em Santa Maria

Por Patric Chagas

Passar três meses na estrada realizando cursos de produção audiovisual. Essa é a meta do audacioso projeto Gravando Bandas com DSLR Jornada Adobe. A primeira etapa do workshop itinerante começou ontem, e segue até amanhã, em Santa Maria. Além de conteúdo teórico, os participantes aprenderão na prática todas as etapas do complexo processo de produção de um videoclipe. A Lugh foi a banda local escolhida para protagonizar a experiência. 

Durante os três dias de workshop, serão ensinadas lições que vão desde a confecção de um roteiro, técnicas de iluminação, edição até a finalização do material. Quem comanda o curso é o experiente Derick Borba. Trabalhando com audiovisual desde 2000, ele já atuou em projetos de empresas como Nike e Sony. No meio musical, produziu dezenas de clipes de bandas como Jota Quest, Dead Fish e Pitty. Atualmente, produz material para o canal Off.

Mesmo com sua vasta experiência na área, Borba encara o projeto como o maior desafio profissional da sua vida. Isso porque tanto ele quanto os alunos, são colocados "em um cenário real do mercado de trabalho, com problemas reais, dificuldades, contratempos e muitos outros problemas que vão surgindo dentro do set de gravação". E é isso mesmo o que ocorre na prática. Ontem, por exemplo, enquanto os alunos recebiam instruções sobre o uso do travelling, um dos trilhos que auxiliam o deslocamento da câmera apresentou um problema, solucionado no ato, diante dos olhos atentos dos alunos.

— O mais legal é ir resolvendo os problemas junto com os alunos, decidindo passo a passo qual a melhor opção para garantirmos as melhores imagens. Nesse diálogo, sempre me surpreendo. Se uma cabeça pensa melhor que duas, imagine 15 cabeças pensantes — comenta Borba.

Ao longo de três meses, o projeto passará por 13 cidades brasileiras, sendo encerrado em Fortaleza, no Ceará. Para reduzir custos, o professor precisou reduzir sua equipe fixa. Para compensar a ausência desses profissionais, ele conta com a ajuda de amigos, entre eles, Pablo Zambeli, Pedro Krum e Denis Carrion. O trio foi responsável pela vinda do workshop a cidade, única cidade interior a receber o curso.

Todos ganham

E nessa troca de experiências, a música brasileira também ganha. Borba, que também é músico e já sentiu na pele o quanto as bandas independentes sofrem, não pensou duas vezes quando viu a possibilidade de fazer do treinamento uma forma de ajudar essa galera. O produtor afirma que vê muitos profissionais da área reclamando que os grupos não investem, mas prefere acreditar que isso ocorre por falta de condições. E quando ele se dispõe a investir, também acaba evoluindo ao "testar novos equipamentos, novos movimentos, buscar novos resultados tanto de iluminação como de direção".

— Poder passar esse conhecimento é algo extremamente motivador. Vejo alunos no começo do treinamento com medo, pessoas que nunca gravaram ou editaram, mas, que, ao final de três dias, finalizam e entregam um clipe pronto, altamente profissional — conclui.

Agora é esperar para conferir o resultado final desses três dias de trabalho e, claro, o mais novo clipe da Lugh. Afinal, como publicaram seus integrantes no Facebook, essa será uma experiência que marcará suas vidas.

DIÁRIO DE SANTA MARIA

 

 

 

Deixe uma resposta

Seja o primeiro a saber